FINANÇAS

RESIDÊNCIA MÉDICA

FACULDADE

SÁUDE MENTAL

CARREIRA

7 dicas práticas para a escolha da residência

7 dicas práticas para a escolha da residência

A gente já falou aqui um pouco sobre a escolha da especialidade , mas a tarefa não acaba por aí: você ainda precisa enfrentar a escolha da residência.

Para cada especialidade, geralmente existem vários serviços e hospitais disponíveis, sejam eles perto de onde você mora ou até mesmo em outros estados, Então, é preciso, uma vez mais, ponderar sobre prós e contras de cada opção, para que seja feliz com a sua decisão!

Mas relaxa, uma vez mais o ADM veio aqui te ajudar nas decisões difíceis que você encontra ao longo da sua formação como médico!

A escolha da residência é importante?

A residência é a sua porta de entrada na profissão, assim que você pega seu CRM. Além disso, é um momento de aprendizado prático intenso, com grande aperfeiçoamento profissional. Exatamente por isso, ela é tão importante.

A escolha da residência, quando bem feita, pode abrir inúmeras portas, desde oportunidades profissionais até pessoais. Claro que se você eventualmente não passar pra sua opção número 1, o céu continua sendo o limite, mas haverá mais obstáculos pelo caminho.

E se não der certo de primeiro, fica tranquilo. É melhor investir um pouquinho a mais de tempo agora em busca da felicidade do que chegar lá na frente, já com mais obrigações financeiras e familiares, e se arrepender. Se precisar de ajuda nesse caminho, vem com a gente na Mentoria Residência.

Como deve ser feita a escolha da residência?

Como na especialidade, você deve buscar o local que mais converse com a sua personalidade. Então, no final das contas a escolha deve ser pessoal, por mais que você leve em conta opiniões de pessoas próximas.

Por isso, o primeiro passo na escolha da residência é começar listando as opções possíveis dentre todas as existentes, já excluindo aquelas que não despertam interesse. Depois, com uma pesquisa remota (buscando na internet mesmo), você deve conseguir excluir mais algumas.

Mas e agora que já separei o joio do trigo e só tenho opções boas na mão, o que fazer?

Com essa primeira seleção, chegou a hora de fazer uma pesquisa mais refinada. Você vai precisar ir além das informações que estão na internet, exatamente pelo peso que essa decisão vai ter sobre seu futuro.

Vou te dar umas dicas então, pra ajudar na sua escolha da residência, pode ser?

Dica 1: Pesquise mais a fundo sobre a localização

Se a instituição for na sua cidade, talvez essa etapa seja mais fácil. É legal você pesquisar como chegar lá, seja de carro, de uber ou de transporte público. Considere o preço, o tempo gasto na ida e na volta e a comodidade. 

Como eu disse, agora você precisa se dedicar um pouco mais na pesquisa, então vai de fato até os locais que ainda estão na sua lista e vê com seus próprios olhos como é esse caminho, que tal? Ah, e tenta simular o horário real, porque o trânsito pode fazer uma boa diferença.

Agora, se for em outra cidade, talvez você não consiga ir pessoalmente em todas as suas opções, então guarda essa visita pro máximo de locais que conseguir, seguindo a ordem de onde mais quer para onde menor quer.

Pra aqueles lugares que acabar não visitando, vai ter que se contentar com a pesquisa online mesmo. Mas aí você pesquisa tudinho, usando Maps ou Waze pra ver tempo e abrindo Uber pra ver custos.

Dica 2: Conhecer os serviços é importante na escolha da residência

Logo aqui em cima, falei que era importante você conhecer o percurso, né? Então, em uma dessas idas aproveita pra entrar e conhecer o local de escolha da residência 

“Ah, mas eu já frequento hospitais há quase 6 anos, eu sei como funciona um. Por que eu devo visitar esse?”

Bom, você vai passar mais tempo na residência que na sua casa praticamente por alguns anos, então é legal conhecer as particularidades e especificidades do lugar. E a melhor forma de fazer isso, é vendo com seus próprios olhos e tirando as suas próprias conclusões.

Algumas coisas interessantes e se reparar:

1 – Se você curte emergência, veja se o serviço tem porta aberta

2 – Se você não gosta muito de plantão noturno, vê como funciona por lá durante a noite (mas já tendo em mente que a residência é recheada de noites mal dormidas no serviço)

3 – Veja como é a organização, desde a recepção até as enfermarias e ambulatórios, caso haja

Mas vá com olhos de lince e repare em tudo que conseguir, cada mínimo detalhe daquele lugar que pode vir a ser o novo emblema estampado na manga do seu jaleco. 

As duas próximas dicas, seria legal que você as fizesse durante essa visita, mas eu vou falar separado, já que são bastante importantes. Aí vai então.

Dica 3: Converse com os residentes

Várias pessoas enfrentaram os dilemas da escolha da residência antes de você, então é legal saber o que as fez decidir ao final. E quem melhor pra isso do que aqueles que acabaram de tomar essa decisão?

Então bate na porta do serviço e fala com os residentes que estiverem por ali. Veja como é a rotina deles, falando com todos os R’s possíveis, já que um dia você estará ali! Veja a impressão deles sobre a instituição e sobre a residência em si. Pergunte tudo que precisar, é importante estar munido de informações.

Dica 4: Converse com os staffs do serviço

Por mais que você já seja médico, provavelmente ainda te falta experiência. Exatamente por isso, existem médicos para instruir, guiar e orientar os residentes. Então, fale com eles, veja o que eles esperam de um residente.

Pra escolha da residência, é muito importante saber se você se adequa às e às necessidades do serviço, e quem pode te falar sobre isso são os médicos preceptores.

Dica 5: Avalie a região e veja custos de moradias próximas ao serviço

Uma boa maneira de conciliar a escolha da residência com qualidade de vida é minimizar o tempo de percurso entre sua casa e a instituição, principalmente em cidades grandes e com trânsito, como por exemplo São Paulo, ou pra instituições afastadas dos grandes centros. Então, veja quanto custa morar ali perto, põe na ponta do lápis e veja se vale a pena.

Às vezes, você precisará abdicar um pouco do conforto dentro de casa em prol da localização, mas isso é natural, a residência é o momento que você está apenas começando a sua jornada. Não precisa ter pressa agora.

Fica ligado, também, na segurança da região, isso é importante, ainda mais se decidir morar por lá de fato. Considere isso, os custos de deslocamento, as amenidades da região, já que por mais que o serviço ocupe a maior parte da sua semana, você precisa cuidar da saúde mental e a qualidade de vida como um todo.

Dica 6: Pense sobre a liberdade para plantões do seu local de escolha da residência

Muitas vezes, independente do ano de residência, você vai precisar de um plantãozinho aqui ou acolá para complementar a renda. Se você seguir nossas dicas de como se diferenciar ganhando dinheiro na faculdade, talvez esse dinheiro possa vir de outras fontes.

Mas de qualquer maneira, é bom checar como funcionam os horários e tudo mais, para que já possa se planejar com antecedência. Afinal de contas, organização pessoal é um dos preceitos para melhor organização financeira  Mas aqui você pode ainda ser além da medicina e já aprimorar seus conhecimentos sobre investimentos, hein? 

Dica 7: Incertezas são normais e fazem parte da escolha da residência

É uma época de muitas novidades, com novas pessoas, novos ambientes, novas possibilidades e principalmente novos desafios. Apesar disso tudo, você precisa ter em mente que está seguindo o caminho que escolheu.

Vai com fé, enfrente os obstáculos e os percalços de cabeça erguida, Aprenda com os erros, cresça com as dificuldades e melhore mais e mais a cada dia!

Que vocês tenham sucesso tanto na escolha da residência quanto ao longo dela!

Um abraço,

Eric Slawka

 

Isso fez sentido pra você? Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Digite o email em que você quer receber o Checklist: