A telemedicina veio pra ficar ou não?

A telemedicina veio pra ficar ou não?

Quem aqui não ouviu um monte sobre telemedicina no meio dessa pandemia? Pois é, a telemedicina foi liberada pra diminuir o trânsito de pessoas, mas pode ter certeza que ela foi um grande avanço.

Em alguns países, como EUA, a telemedicina já é aplicada há alguns anos. Apesar de estarmos um pouquinho atrasados, há indícios que ela veio pra ficar!

Exatamente por isso, hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre telemedicina por aqui.

Mas o que é esse tal de telemedicina?

Basicamente, a telemedicina é uma consulta médica remota. Ou seja, o Victor pode estar em casa, de calça de pijama, e ajudar um paciente com diabetes sem sair de casa. Legal, né?

Mas não vai achando que é só fazer um Zoom ou um Meets com o paciente. A consulta tem regras e já existem várias plataformas pra te ajudar, como a Dr. Conecta e a Conexa! Por isso, antes de começar a praticar, você precisa se informar e estudar direitinho. Essa é a melhor maneira de você não infringir regras sem nem saber.

Por exemplo, você só vai poder emitir um atestado se tiver uma assinatura digital. Além disso, é indicado que o paciente assine um termo de consentimento, que pode ser escrito ou durante a consulta, se gravada (o que é bem recomendado). 

A grande diferença é a consulta remota, mas a gente ainda vai precisar fazer uma anamnese inesquecível e ter uma comunicação excelente. Confere lá no MedSkill como aprimorar essas habilidades!

Checa esse vídeo pra entender melhor:

E será que a telemedicina funciona mesmo?

Claro, ainda existe muito espaço pra telemedicina evoluir. Eu não duvido nada que ainda vão inventar algum jeito de fazer exame físico completinho à distância!

Mas analisando o funcionamento a partir dos dados que já temos, podemos afirmar que a telemedicina funciona. Basta pegarmos o exemplo do Einstein, que sempre figura no topo do ranking de hospitais do país, e ver o aumento da cobertura deles.

Além disso, no meio da pandemia foi bem útil. Não só evitou contato dos médicos com pacientes potencialmente infectados, mas também evitou o trânsito de pessoas em função das consultas. Dessa forma, a propagação do vírus foi menor.

Ou seja, o alcance da saúde aumentou e mais pessoas puderam ser atendidas por bons serviços de medicina. Também é uma boa maneira de completar a renda dos residentes que precisam viver com a bolsa e de médicos já especialistas. 

Aliás, sobre o preço, vai de cada médico. Você pode cobrar o quanto quiser pela sua consulta, como se fosse presencial. Só toma cuidado pra não cometer erros clássicos, caso seja um recém-formado.

Como funciona hoje?

Pela lei 13.989, de 15 de abril do ano passado, a telemedicina foi liberada enquanto durasse a crise do COVID. Isso ajudou no que acabei de falar ali em cima, diminuindo a circulação de pessoas. Até então, ela não era permitida nos conformes que está sendo aplicada hoje.

E como todos podem ver em qualquer noticiário, a situação aqui ainda tá bem complicada, infelizmente. Por isso, ainda não houve qualquer emenda ou alteração que altere a prática de telemedicina desde então.

Na realidade, a telemedicina já existia antes, de certa forma. O que vemos hoje, na prática, são as teleconsultas. No entanto, outra prática possível, são as teleconsultorias, quando um serviço auxilia remotamente outro serviço. Ainda podíamos mencionar o telediagnóstico e o telemonitoramento. Contudo, se compararmos ao avanço que a lei gerou nesse meio, podemos praticamente desprezar o que existia no passado.

Uma ressalva importante é sobre a utilização da telemedicina pelos serviços públicos. Ainda mais em um país como o nosso, no qual muitas pessoas sequer tem acesso às tecnologias necessárias à telemedicina. Contudo, na prática privada, a telemedicina tem crescido exponencialmente e já praticamente constitui importante base da saúde do país.

O que a gente espera pro futuro da telemedicina?

Nesses meses, já ficou mais que claro que a telemedicina é boa, né? Inclusive, aposto que vários de vocês já até se consultaram remotamente.

Por esse avanço, tudo indica que essa vai ser uma nova realidade no futuro. Então, o ideal é que vocês comecem a se inserir nessa nova realidade, desde já, ainda na faculdade ou na residência.

Em suma, a telemedicina veio sim pra ficar!

Por hoje era isso, pessoal. Espero que vocês consigam se adaptar a essa nova realidade e tenham sucesso nas consultas remotas. Ah, e você já sabem, né? Qualquer dúvida só chamar lá no nosso Insta que a gente ajuda vocês!

Grande abraço,

Eric Slawka

 

Isso fez sentido pra você? Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Digite o email em que você quer receber o Checklist: