O GUIA DEFINITIVO DO ESTUDANTE DE MEDICINA

O GUIA DEFINITIVO DO ESTUDANTE DE MEDICINA

E aí pessoal, tudo certo com vocês? Você já ficou pensando em como ser um estudante de medicina diferenciado ao longo da faculdade? Já pensou em como ser um aluno além da medicina? Então veio ao lugar certo! Vamos falar um pouco e dar umas dicas aqui de como você pode aproveitar ao máximo esses 6 anos do curso.

A gente sabe que a faculdade de medicina é um universo e vocês precisam batalhar pra ter o CRM em mãos. Mas antes de começar por aqui, a gente precisa dizer que valerá a pena no final, então, citando a grande filósofa Dori 🐟: “continue a nadar, continue a nadar”! 

Mas também seria uma mentira nossa se não falássemos que o mercado médico mudou. Não basta apenas o estudante de medicina enfiar a cara nos livros e decorar todas as páginas do Harrison. Claro, se você fizer isso, será um bom médico, mas a medicina de hoje vai muito além. Você precisa se desenvolver cada vez mais e se diferenciar, se tornando a melhor versão de si mesmo!

Em um primeiro momento, isso pode ser assustador. Imagina finalmente se formar, olhar pro lado e ver que outras 499.999 pessoas tão lá com você, todas em busca de espaço? E pode ter certeza que dentre essas aí, tem muuuuuita gente boa, que no passado não teria o menor problema em ter uma carreira de extremo sucesso. 

Eu não tô falando que elas não eram sucesso, longe disso! Queremos sempre o melhor pra todos e o melhor pra saúde do país. Mas é como já falei ali em cima, os médicos precisam saber mais que apenas doses e condutas recomendadas. Desde gestão até empatia, qualidades e habilidades pessoais estão cada vez mais em alta, e não é pra menos, são essenciais aos estudantes de medicina e futuros médicos!

 “Mas isso quer dizer que a medicina não é pra todos?” 

Claro que não! As capacidades importantes podem ser exercitadas. É igualzinho estudar pra uma prova, mas você não vai encontrar todas essas matérias em páginas de livros. Você vai precisar treinar elas diariamente e correr atrás, elas não vão vir até você. Em alguns momentos vai ser cansativo, com certeza, mas finge que a faculdade é uma incubadora prontinha pra lançar vocês no mercado de trabalho! 

Então usem a faculdade a favor de vocês, vivam o curso e aproveitem ao máximo cada oportunidade que surgir! E como a gente sabe que isso é meio abstrato e pouco comentado, a gente veio aqui esmiuçar pra vocês.

A gente vai explicar tudinho e entregar o ouro pra vocês. Pra isso, vamos separar a faculdade da maneira clássica, em 3 partes: ciclo básico, ciclo clínico e internato. Cada uma tem suas particularidades e iremos explorar isso aqui com vocês.

Mas antes, uma dica essencial, que vai te ajudar durante toda a faculdade e até depois dela: segue o Além da Medicina no instagram, com certeza vai te ajudar muito!

 Vamos lá então?

COMO SER UM ESTUDANTE DE MEDICINA DIFERENCIADO NO CICLO BÁSICO?

Fala calouro, beleza? Estamos felizes em ter o mais novo estudante de medicina por aqui, seja bem-vindo ao time ADM! Temos certeza que vocês estão animados, mas também um pouquinho assustados. Se já foi complicado decorar mil fórmulas de matemática e o ciclo de Krebs no vestibular, que dirá entender como funcionam todos os sistemas. 

Mas podem ficar tranquilos: essas coisas aí têm em qualquer livro e todo aluno de medicina acaba aprendendo uma hora ou outra, o nosso foco aqui é te ensinar a ser fora da caixinha e ir além da medicina, ainda mais com a nova realidade médica

Antes de começar a explicar melhor como funciona cada fazer isso, você precisa entender melhor como funciona a faculdade de medicina, né? Os seis anos são divididos assim:

Infográfico contendo a jornada dos estudantes de medicina, passando pelo vestibular, ciclo básico, ciclo clínico, internato e formatura

Se a faculdade fosse uma vida, vocês seriam os bebês, aqueles beeeem pequenos, que acabaram de chegar no mundo. Vocês podem achar estranho, mas assim como a neuroplasticidade dos bebês, vocês vão absorver tudo que nem esponja, e vão crescendo até virarem médicos adultos! Isso acontece com todos os estudantes de medicina, podem ficar tranquilos!

Sim, desde o primeiro período vocês já podem ir trilhando um caminho diferenciado e ir escolhendo os melhores caminhos nas bifurcações por aí, pra quando chegar lá na frente serem a melhor versão possível. Tudo vale aqui, seja iniciações científicas ou rodar por todos os esportes da atlética, mas vamos te dar umas dicas e conselhos pra facilitar sua jornada. Então vem com a gente!

Pra facilitar a dinâmica aqui, vou dividir em tópicos, vai ficar mais fácil de entender, beleza?

Inglês

Vou começar com o básico: se você não sabe falar inglês e depende do Google Tradutor pra ler artigos, essa é a hora de dar um gás no verb to be. “Aí, mas é tão chato, por que fazer isso?” Simples, a maioria dos conteúdos são publicados em inglês. Tá duvidando? Vê aí:

Demonstrar o menor número de resultado encontrados para pesquisas realizadas em português, demonstrando a importância do inglês para estudantes de medicina

Demonstrar o maior número de resultado encontrados para pesquisas realizadas em inglês, demonstrando a importância dessa língua para estudantes de medicina

 Te convenci? E olha que esse é um tema batido hein! Imagina se fosse um tema que acabou de sair do forno, a diferença seria maior ainda.

Amigos e colegas

Pode até parecer clichê, mas aquele bando de gente nova do seu lado vai te acompanhar por pelo menos 6 anos. E pode ter certeza que dali vão sair alguns que ficarão do seu lado pro resto da vida. Já imaginou aquele rosto novo virando seu melhor amigo (ou até mesmo um romance rsrs)?

Várias atividades e trabalhos da faculdade serão em grupo, então é muito importante que você se de bem com o povo da sala. Claro, vão ter aqueles amigos do peito pro que der e vier e aquela pessoa que você mal conversa, mas seja simpático com ela também, pode ser importante no futuro!

Além disso, você já ouviu que pra medicina é bom ter um networking forte, né? Então começa a construir ele desde já! Vai que pinta uma oportunidade legal, seja na faculdade ou depois de formado, por causa de uma indicação? Então não dá mole!

Pesquisa

Aqui, é uma hora boa pra você começar o que é um laboratório e como funciona uma pesquisa, se a sua faculdade tiver essa vertente. Então aproveita pra estrear seu jaleco novo batendo na porta de alguns laboratórios. 

Você tem três opções: pode falar diretamente com um professor e perguntar se tem alguma oportunidade, pode procurar e-mails de professores associados a pesquisas do seu interesse ou pode ainda ir na cara de pau batendo na porta do laboratório. Só lembra sempre de dar uma olhadinha na internet sobre o foco da pesquisa, pra demonstrar que tem interesse de verdade!

Mas fica calmo, não tô dizendo que você precisa ser o próximo Carlos Chagas ou a próxima Marie Curie. Dá uma sondada, vê se desperta seu interesse. Se não rolar, beleza, parte pra próxima. Mas se você curtir, quanto antes começar nesse mundo, melhor.

Atlética

Depois de um ano 100% focado no vestibular, com certeza muitos de vocês deixaram os exercícios físicos de lado. Agora é a hora de tirar o pó da chuteira, tirar a regata do fundo do armário e aparecer nos treinos dos times da faculdade!

Os esportes são legais em vários aspectos. Claro, tem a questão curricular. Mas o mais importante é a vivência, é conhecer pessoas de vários períodos e sentir que pertence a uma família nova. Você vai estar cuidando da sua saúde e ao mesmo tempo da sua formação, quer coisa melhor?

Aproveita esse momento da faculdade, que apesar de muitos estudos, não tem muitos compromissos “obrigatórios” extracurriculares, como estágios, plantões e estudo pra residência. É o momento ideal de você virar o craque do time e ser ovacionado pela faculdade inteira no INTERMED.

Competições, festas e choppadas

Essa é a melhor hora pra curtir e aproveita ao máximo tudo que a faculdade tem a oferecer, o que inclui diversão fora das salas de aula. Aproveita que ainda não precisa virar noite no plantão nem estudar pra residência!

Além disso, essa é uma oportunidade excelente pra focar nas amizades, né? Quer lugar melhor pra conhecer a galera da faculdade do que entoando os gritos em uníssono nas arquibancadas? Deu até saudade aqui, enquanto eu escrevia 😥

Aproveita muito, comemora sua nova conquista e vai ser feliz! Só lembra também da moderação hein, não vai deixar essa diversão virar um problema na sua vida!

Estudos

Para quem ainda não conhece, o desempenho acadêmico é mensurado pelo coeficiente de rendimento, o temido CR. Ele nada mais é que uma média das notas de cada disciplina ponderada pelo número de créditos que cada uma delas representa. 

Não estamos aqui pra dizer que o CR é a coisa mais importante do mundo, mas também não podemos negar que ele pode abrir várias portas, principalmente de “caminhos oficiais”, nos quais os critérios de desempate geralmente incluem o CR.

Dito isso, o primeiro período é importante para você criar um alicerce pro seu CR. Como cada vez mais o número de créditos do período fica menor em relação ao número de créditos totais cursados, os primeiros períodos são aqueles que mais variam o seu CR. Então, cuide (e muito) da sua vida pessoal e da sua formação ALÉM DA MEDICINA, mas não esqueça que você é um acadêmico! 

Estudo extra acadêmicos

Se você já nos acompanha lá no instagram, tenho certeza que sabe que é importante não se restringir à medicina. Pensa aqui comigo: se você trabalhar 8 horas por dia, vai ficar falando de medicina nas outras 16 horas do dia? Claro que não né!

Você precisa ser completo, não só como profissional, mas também como pessoa, e esse o melhor momento pra começar esse hábito. Você pode ler livros de empreendedorismo, aprender sobre finanças, descobrir como se desenvolve um app, enfim, milhares e milhares de assuntos que não tem no Harrison (calma que a sua hora de ler essa bíblia da medicina vai chegar 😉).

Quando você for médico, vai precisar saber várias coisas que não são ensinadas nas salas de aula, desde gerir o seu consultório até cuidar do seu patrimônio financeiro. Então não deixa isso de lado, começa a aprender desde já, que aos pouquinhos você vai aprender mais e mais e virar ALÉM DA MEDICINA.

Não sabe por onde começar? Vai lá no Finanças Dominadas e dá seus primeiros passos!

Vida pessoal

Meus amigos, eu não vou mentir aqui e dizer que a faculdade de medicina é fácil e que você vai trocar algumas noites de sono por aquela revisão no conteúdo. Mas não esqueçam que vocês não são máquinas! Uma hora, se não tomarem cuidado, pode dar pane, não queiram correr o risco de um burnout.

Tirem aquele tempinho pra você e faça o que gosta, sem compromisso com o resto do mundo. Pode ser ver alguns episódios daquela série que você ama, assar um bolo, ir na academia, pedalar por aí ou qualquer outra coisa. O importante é você limpar a cabeça e recuperar as energias pra render mais e melhor quando voltar pro foco!

Pertencimento

A gente sabe que tudo é novidade e que você vai passar os próximos 6 anos, pelo menos, nesse ambiente. Então é legal você se engajar e estimular a sua sensação de pertencimento! Afinal, vocês não seriam estudantes de medicina se não fosse a faculdade ao redor de vocês. Então aproveitem ela, vivam ela!

E sabe como você faz isso? Um misto do que já falámos acima, sobre participar nas festa, eventos e esportes, somado a participar ativamente da faculdade, com ligas, atlética, diretórios acadêmicos, dentre tantas outras opções legais. Aproveita pra conhecer novas pessoas, novas histórias e novos ambientes, certeza que sua motivação e seu rendimento vão melhorar assim! 

Muita coisa, né? Você tavam ligados nisso tudo?

Pra facilitar, vamos dar uma resumida aqui pra vocês nos pontos chave de um ciclo básico ALÉM DA MEDICINA:

Resumi das dicas para se tornar um estudante de medicina diferenciado no ciclo básico

COMEÇOU O CLÍNICO: E AGORA, COMO SER UM ESTUDANTE DE DESTAQUE?

Pois é, já se passaram dois anos de curso e você ainda não sabe muito medicina, né? Mas fica tranquilo, isso é normal! No ciclo básico você faz a fundação, agora você vai começar a construir o seu conhecimento de maneira sólida e entender tudinho.

Esse é o momento que você vai perceber o quão gigantesca é a medicina, com várias e várias especialidades e ainda sub-especialidades. O bom é que não vão te faltar opções, mas ao mesmo tempo isso pode acabar confundindo a sua cabeça. A gente vai te dar algumas dicas pra ajudar nos próximos dois anos de faculdade, pode ser?

O ideal é você estudar todas as matérias, mas a gente sabe que ninguém aqui é uma esponja pra simplesmente absorver tudinho desde a pediatria até a geriatria. O ideal aqui é você começar a filtrar as especialidades e ir anotando aquelas que mais te interessam, já começando, beeeem devagar, a trilhar um possível caminhos nelas.

Se você gostar de GO, por exemplo, seria interessante você se aproximar dos professores dessa disciplina e sondar oportunidades, que vão desde um estágio não oficial até simplesmente cair nas graças deles e ter um networking bom no futuro! Então não dá mole, mas lembra que é normal ainda ter dúvidas, você só precisa bater o martelo da sua especialidade de escolha no 12º período.

Mas olha, presta atenção no que falei ali em cima, vocês precisam estudar tudo, mesmo se não forem muito com a cara da matéria! Os bons estudantes de medicina e médicos sabem muito além da medicina, mas precisam saber também sobre as doenças. Afinal, assim que vocês se formarem, a tendência é que trabalhem em emergências e CTIs, nos quais podem chegar qualquer paciente!

A matéria é enorme, o que fazer pra me diferenciar?

O ciclo clínico é ideal para você “se adequar” aos editais de residência, sair na frente dos outros estudantes de medicina e desafogar seu internato, pra que você passe os dois últimos anos focado nos estudos e nos aprendizados pra passar nas provas e ser um excelente médico.

Então, você vai dar um passo adiante naqueles processos que já tinha começado no ciclo básico e se aprofundar: publique artigos, participe de congressos, faça estágios, dentre tantos outros!

Parece muita coisa, né? A gente sabe, mas continua aqui que vamos resumir pra você!

Várias provas de residência separam uma porcentagem da nota final pro currículo dos candidatos. Claro, sem uma nota boa na prova, não vai ser o currículo que vai te botar lá dentro e um currículo de 10 páginas apenas com coisas superficiais também não é legal.

Apesar dos diferentes editais, eles giram em torno de um mesmo padrão, se liga aí:

Resumo das dicas para se tornar um estudante de medicina diferenciado no ciclo clínico

Entendeu?

Você pode até achar que tem uma outra coisinha igual ao básico. E de fato tem!! Agora é hora de ir mais fundo e colher os frutos daquilo que você começou a plantar há uns anos. E lembra que algumas coisinhas de lá ainda valem, como estudar assuntos extra-acadêmicos, cuidar da sua vida pessoal e todos aqueles que não envolvam diretamente o curso de medicina.

Por exemplo, podemos falar um pouco das ligas acadêmicas, que são grupos de debate e de estudo sobre os mais variados temas. Existem ligas de endócrino, de gastro, de cardio, enfim, das mais variadas especialidades (e se não existir por aí, é só você fundar uma!). Elas são uma ferramenta excelente pra você começar a se aproximar mais do mundo médico, seja com discussão de casos clínicos ou com projetos de extensão que te coloquem dentro do hospital.

Pra ajudar na construção do currículo e também ganhar uma quilometragem a mais, é importante participar da diretoria de ligas. Você vai aprender muitas coisas, como gestão de projetos, gestão de pessoas, fazer contato com vários médicos da especialidade, entre vários outros. Pra ser melhor ainda, busque aquelas ligas mais próximas da especialidade que você curte, isso pode até te ajudar na hora da decisão final!

Agora vou te dar a dica de ouro de tópico: se não tiver liga de algum tema, funde uma! Existe uma burocracia para isso, você precisa preencher umas documentações e arranjar um orientador. Mas quando passar todo o esforço, vai valer a pena! Você não só vai ganhar uma visibilidade legal entre seus amigos e dos professores, mas também vai poder incluir um belo achievement no seu currículo!

O clínico é basicamente aquele momento de transição, quando você começa a pegar todos aqueles mil conceitos que aprendeu nos dois primeiros anos de faculdade e tenta dar sentido a eles dentro do mundo da medicina. É também o momento em que você vai começar a lidar com pacientes com maior frequência e assumir responsabilidades um pouco maiores. Então não dá bobeira e se dedica!

Mantém em mente que quando essa fase acabar, você só vai ter mais dois anos como acadêmico. Depois, você já tem seu CRM em mãos e a responsabilidade cresce exponencialmente. Segue as nossas dicas e faça um ciclo clínico diferenciado!

Aposto que você tá sentindo falta do intercâmbio, né? A gente não esqueceu dele, sabemos que é o sonho de vários estudantes de medicina, fica tranquilo!

Esse é um bom momento para você planejar um intercâmbio e se adequar a ele, seja aprendendo a língua do país ou tirando passaporte e visto. Você pode fazer algum intercâmbio nas férias nessa fase, trancando período ou esperar pro internato e fazer uma rodada internacional.

Mas relaxa, mais pra frente a gente faz um texto mais completinho sobre isso pra vocês, beleza? Com certeza se forem alunos fora da caixa, será mais fácil conseguir uma oportunidade bacana!

 

COMO SER UM ESTUDANTE DE MEDICINA FORA DA CURVA NO INTERNATO  


E aí interno! Se você chegou até aqui é porque já percorreu um bom caminho, não é mesmo? Já passou pelo ciclo básico, pelo ciclo clínico e agora chegou o momento mais esperado ( e por que não mais temido) de qualquer estudante de medicina! 

E eu concordo com você: o internato é, sem dúvidas, um momento em que os estudantes de medicina ganham mais responsabilidade dentro do curso, assim como é um período em que a nossa curva de aprendizado pode aumentar muito. E sim, toda essa transição gera muita expectativa e nervosismo, já que todos nós queremos ser bons internos, certo?

Mas deixa eu te contar uma coisa: a gente pode te ajudar com isso. Por isso, preparamos algumas dicas que vão muito além da medicina para te ajudar a passar pelo internato da melhor maneira possível e ser um estudante de medicina fora da curva! Quer saber mais? Então se liga nas nossas dicas abaixo:

 

Seja pontual, não saia antes (e nem no horário)

Isso pode não parecer nenhuma novidade pra você, né? Mas é um ponto muito importante para lembrar. Agora o serviço que você está passando depende de você lá para o atendimento, por isso é muito importante que você esteja lá no horário combinado. Caso aconteça algum imprevisto, se justifique e seja sincero. Inventar histórias não é legal e isso pode causar uma má impressão para os seus preceptores.

Até aí tudo bem, você entendeu a importância de ser pontual. Até que chegou aquele dia em que você estava louco para ir embora, seu serviço terminou antes do esperado e o que você fez? Feliz da vida pegou suas coisas e foi. Esse é um grande erro que a maioria dos estudantes de medicina cometem no internato (não se preocupe, não é só você). Mas a parte boa disso, é que a partir de hoje você pode mudar isso. 

Aproveite as oportunidades que você tem!  Seja pró-ativo e peça para o seu preceptor, residente ou até mesmo algum funcionário do hospital se eles precisam de ajuda. Tudo que você conseguir fazer extra vai contribuir para o seu aprendizado, além de demonstrar interesse e fazer com que seus preceptores ganhem confiança em você na hora de deixarem você fazer os procedimentos. 

Prepare-se para a rotação 

A gente sabe que durante a faculdade nós temos que absorver uma quantidade enorme de conteúdo e é normal esquecer muita coisa que não vemos no nosso dia-a-dia (quem não sofre com esse problema não é mesmo?)

Por isso, não custa nada antes de você iniciar uma área dar uma lidinha no seu resumo sobre aquele tema. Por exemplo, você irá começar a acompanhar um anestesista, que tal fazer uma leitura ou ver algum vídeo sobre intubação orotraqueal ou anestesia peridural?

Tenho certeza que isso irá te ajudar muito na hora de você colocar a mão na massa, além de fazer com que você se diferencie dos seus colegas que chegaram na rotação sem ver nada sobre o assunto.

Mas, interno, é melhor que você faça esse estudo em casa ou em outro local que não a sala do conforto médico, ok? Aproveite o seu tempo no hospital para aprender a pôr a mão na massa. O internato é o cartão de visita do estudante de medicina, assim como a residência é do médico. Nesse momento, todos estão de olho em você, seus professores, residentes e colegas. Por isso, aproveite esse tempo para aprender, demonstrar interesse e manter contato com seus colegas, pois pode ser que no futuro isso contribua para que você consiga um emprego nesse hospital. Combinado?

Escolha um bom grupo e aprenda a viver em time

Depois de fazer várias amizades e contatos durante a faculdade, chegou a hora de você escolher a dedo essas pessoas para estarem com você! Esteja no grupo daquele seu brother que estará disposto a te ajudar quando você precisar, daquele seu camarada que aceita trocar um plantão com você ou aqueles parceiros que você tem certeza que irão contribuir pro grupo funcionar bem!

Da mesma forma, seja colaborativo com seus colegas! Quando alguém precisar de alguma troca de horário ou plantão, seja camarada e troque com ele quando puder. O internato já é um treino para a residência e isso frequentemente vai fazer parte da rotina de vocês!

Se dedique ao seu currículo (mas nem tanto)

É isso mesmo, parceiro. Agora é o momento de você ir atrás dos editais de residência  e concluir apenas o que falta para você ter um bom currículo na residência que você tanto quer. A grande maioria deles está disponível no site do hospital de sua escolha e com uma simples busca no google você conseguirá ter acesso a eles na íntegra.

Agora você deve estar se perguntando: ”Mas se eu não fiz muitas coisas para o meu currículo até agora, como posso recuperar isso durante o internato?’’. Bom, nesse caso você vai ter que correr mais atrás de atividades extracurriculares que os seus colegas e terá que gastar mais energia com isso. 

Uma dica é: faça uma lista com o que que você ainda não teve contato, coloque elas em prioridade com as que são mais urgentes para o desenvolvimento de habilidades e para o seu currículo e, por fim, distribua elas em sua agenda para que nesses últimos 2 anos de internato você consiga dar conta de tudo.

Mas lembre-se: o internato é a sua prioridade agora! Não deixe ele de lado para fazer atividades que apenas irão te garantir um certificado e não irão te agregar experiência e conhecimento.

Aprenda a escolher seu estágio curricular 

Os estágios curriculares são estágios obrigatórios dentro do período do internato em que você pode escolher uma determinada área para fazer o estágio no hospital de sua preferência. Os esquemas entre as universidades e os hospitais dependem muito de local para local, mas o mais importante desses estágios é você escolher a área que você deseja fazer sua residência, ou então as áreas que você ainda está em dúvida de qual seguir.

Essa é uma ótima oportunidade para você vivenciar a rotina da especialidade mais de perto e poder decidir se é isso mesmo que você quer para a sua vida. Além disso, você pode aproveitar essa chance para conhecer melhor o serviço do hospital, conversar com os residentes e poder decidir se quer prestar prova para aquele hospital ou não. 

Seja humilde e prestativo, sempre!

Isso também faz parte do jogo, né galera? Nenhum residente ou preceptor quer ensinar um estudante de medicina que se recusa a fazer as coisas achando que não é o seu papel ou que se sente no direito de fazer tudo porque está no internato e quer aprender.

Esteja disposto a ajudar, mesmo que aquela tarefa não seja o seu papel como acadêmico naquele momento. Seja humilde e peça com educação para poder participar de algum procedimento, pergunte o necessário e admita quando não sabe de algo. Isso vai ajudar a criar uma relação de parceria entre vocês e o aprendizado se tornará muito melhor. 

Assim, você será bem recebido nos serviços e os seus preceptores e residentes farão questão de ajudar você! Lembre-se, você está ali para aprender e tudo isso faz parte do processo.

Desenvolva soft skills

Tenho certeza que você começou a desenvolver essas habilidades desde que entrou na Medicina ou até mesmo lá no cursinho, caso tenha feito. Afinal, todos nós sabemos que o percurso até aqui não foi nada fácil! Mas também é legal relembrarmos esses conceitos nessa reta final da faculdade, já que para ser um estudante de medicina fora da curva temos que saber lidar com as mais diversas situações, concordam comigo? Por isso, vou listar algumas pra você dar uma conferida e lembrar delas:

  • Persistência — errar vai fazer parte da rotina de todo estudante e médico, mas é importante não desistir para alcançar o seu objetivo;
  • Resiliência — aprenda a ter equilíbrio emocional para lidar com pressão, frustração, situações difíceis e até com um possível feedback negativo dos professores;
  • Empatia — o contato diário com o paciente vai te ajudar a se colocar no lugar do outro, entendendo suas necessidades para oferecer um atendimento melhor;
  • Comunicação — é preciso saber como transmitir a mensagem que você precisa de modo claro aos seus pacientes, à equipe e aos professores.

Peça ajuda aos seus veteranos

Interno, essa é a hora de chamar aquele seu veterano gente boa para te explicar e te dizer as sacadas do internato no seu hospital! Eles já passaram por tudo que você vai encarar e vão poder te dar as melhores dicas. Não esqueça de pedir sobre o funcionamento de cada área, sobre os horários, a melhor forma de aproveitar aquela rotação, como fazer uma boa evolução dos pacientes e qualquer outra dúvida que você tiver.

Mas não se preocupe, é normal se você se sentir perdido nos primeiros dias. Por isso, ter essa conversa com algum veterano pode te ajudar a se sentir mais tranquilo e a tirar de letra o início do internato.

Saiba administrar seus estudos para as provas de residência

A preparação para as provas de residência já iniciam no internato para muitos estudantes de medicina. Mas isso não é regra, você também pode se formar, trabalhar um tempo e depois prestar a prova caso seja melhor para a sua realidade. De qualquer forma, é normal que existam muitas dúvidas de que cursinho fazer, de como estudar e como montar uma rotina de estudos.

Se você optou por começar a preparação já no internato, eu recomendo que desde o 5º ano você comece a estudar, pois é importante que você aprenda como fazer isso, aprenda a criar uma rotina e sinta o que funciona pra você. Além disso, você pode conciliar as áreas que você está passando, com o seu estudo. Assim, fica muito melhor pra você consolidar o conteúdo e mandar ver no internato e nas provas!

Mas se você não sabe muito bem ainda como organizar isso, fique tranquilo! Nós, do Além da Medicina, temos o Mentoria Residência, que vai ensinar tudo pra você! Que tal dar uma olhada lá e conferir as nossas dicas?

Tenha um bloco de notas ou um aplicativo no seu celular

Hoje em dia existem alguns aplicativos que ajudam muito na hora de ver as opções de conduta e dose de medicamentos. Sempre que você for fazer uma receita e não lembrar de alguma informação, tenha algum deles em seu celular para poder fazer uma consulta rápida caso você se aperte em algum momento. 

Outra opção é ter um caderno de bolso com as doses dos principais medicamentos que você está usando naquela rotação. Ah, e além disso você pode colocar pequenos lembretes essenciais de anamnese, por exemplo, que você não pode deixar de pedir naquela consulta. Ambos são para uso rápido e podem te ajudar a economizar tempo na sua rotina!

Cuide da sua saúde física e mental

Há quanto tempo você parou de praticar aquele esporte que tanto gostava? Há quanto tempo você parou de ter aquele hobby que te deixava super feliz? Se você parou de fazer tudo isso, interno, volte o quanto antes! Se você ainda não começou, comece agora!
Eu sei que você vai me dizer: ‘’Mas eu não tenho tempo’’, ‘’Eu chego cansado e não tenho vontade de praticar algum esporte’’ e eu sei que você se sente assim. Mas, colega, você pode fazer isso sem se tornar um peso na sua rotina, sabe como? Adaptando isso para o que você gosta!


Gosta de ir para academia? Tire 40 minutos dos dias que você puder para ir até lá! Gosta de ir correr? Vá quando você puder, sem se cobrar tanto. Gosta de tocar algum instrumento? Pegue ele assim que chegar em casa e o use como uma forma de relaxar depois de um dia cansativo. Gosta de ver um filme? Tire um momento do seu final de semana para isso. 

E eu quero te falar também que não é porque a sua rotina é muito corrida que você precisa se alimentar mal, sabia? Eu sei que você já deve ter visto por aí alguns médicos tomando energético nos intervalos, comendo um hambúrguer no almoço ou no lanche da tarde. Mas você não precisa ser uma dessas pessoas, não!

Se você almoça na sua faculdade ou no hospital procure, dentre as opções disponíveis, se alimentar da melhor forma que você conseguir. Nem sempre isso será possível e tudo bem que aconteça  às vezes de você comer algum fast food. Porém isso não pode se tornar a maior parte dos seus dias. Uma dica é trazer uma marmita para o almoço ou lanches de casa, sempre que você conseguir, é uma boa opção!

Existem diversas coisas que apesar de parecerem simples, podem te ajudar a ter uma rotina muito mais leve e fazer com que você se sinta mais feliz! Mas faça tudo isso de uma forma natural, afinal, dar o primeiro passo é melhor do que continuar parado, não é mesmo?

No nosso instagram a gente também fala disso, fique ligado por lá!

Somos a maior comunidade de alunos e médicos atualmente no Brasil e trabalhamos para te ajudar com todo o conhecimento e habilidades que a faculdade não te ensinou e serão extremamente necessárias para a construção de sua carreira médica de sucesso.

Lembre-se sempre do seu objetivo inicial

Você lembra de quando passou no vestibular de medicina e iniciou o curso super empolgado? Creio que sim. Mas, deixa eu te pedir outra coisa: você lembra do momento que começou a ver a realidade de verdade e viu que era beem diferente daquela que você imaginava no 1º semestre? Talvez você não lembre exatamente, mas tenho certeza que sua visão desde lá mudou muito até chegar aqui.


O que eu quero te dizer com isso é: encare a realidade como ela é, sem máscaras. Mas lembre-se daquilo que te motivou lá no início a percorrer o caminho da Medicina, adapte a sua realidade de hoje e ache um propósito para aquilo que você está fazendo agora e que pretende fazer no futuro. 

Aquele café antes do trabalho pode até te deixar acordado, mas o que vai te dar um gás de verdade para continuar e satisfeito com a sua profissão é o propósito por trás disso tudo.
Encontrar ele não é fácil e pode ser que ele não surja de uma hora para outra. Você pode se perguntar: ‘’O que eu mais gosto de fazer?’’, ‘’Como eu posso ajudar outras pessoas com isso’’?, ‘’Como eu posso fazer a diferença?’’, ‘’O que mais me motiva a acordar todas as manhãs?’’ ou ‘’O que eu me imagino fazendo com tranquilidade e satisfação?’’.

Tenho certeza que essas perguntas, junto com todas as dicas que nós juntamos para vocês, vão te ajudar a ser um estudante de medicina fora da curva no internato!

 

PRA FECHAR

Sabemos que teve um monte de informação aqui e que muita coisa com certeza foi novidade! Pra te ajudar a não esquecer de nada, montamos um checklist com tudo que falamos aqui! Assim você pode imprimir o checklist e colar na sua parede para não deixar nada! Basta clicar no botão abaixo e baixar o checklist! Ah, e não esquece de me mandar a foto dele na parede! Marque a gente no @alem.da.medicina que a gente reposta! Mas guarda esse texto com carinho e lê de vez em quando, pra ficar cada vez mais internalizado e você conseguir ser um estudante de medicina diferenciado e acima da média. Com certeza, se seguir as dicas e os passos que falamos aqui, você conseguirá!

É isso, pessoal!

Um abraço,

Eric Slawka e Marília Damo

Quero fazer o download do checklist!

Isso fez sentido pra você? Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Digite o email em que você quer receber o Checklist: