Processos judiciais na medicina: aprenda a evitá-los 

Processos judiciais na medicina: aprenda a evitá-los 

Você sabia que em média 3 médicos são processados por dia? Ou melhor, que aproximadamente 7% dos médicos estão sofrendo com processos judiciais na medicina?

São altos, né? 

E esse número tem aumentado cada vez mais.

Por isso, o profissional de medicina deve ter alguns cuidados para minimizar esses riscos. Mesmo que alguns deles envolvam a profissão.  

Assim, hoje a gente trouxe 7 dicas para te ajudar a evitar processos judiciais na medicina. E, claro, a trabalhar com mais segurança. Bora lá conferir. 

1- Adote um checklist (e coloque no prontuário)

Sempre que você for fazer um atendimento, tente estabelecer uma rotina. Coloque os itens que o seu atendimento precisa ter. Assim,  você não esquecerá de nada. Dessa forma, você não deixará que algo importante passe despercebido. Não é mesmo?

Mas claro, registre tudo no prontuário. 

Ele será muito importante caso haja discordância de informações ou algum problema futuro em decorrência deste atendimento.

2- Atenção ao prontuário médico

Sempre que você for registrar um atendimento, tente colocar as informações da forma mais clara e legível possível. Além disso, é muito importante colocar os acontecimentos em ordem cronológica.

Outro ponto importante é que, caso o paciente recuse o atendimento ou alguma conduta proposta, não deixe de colocar essas informações no prontuário também.

Afinal, o paciente tem o direito de não aceitar alguma medida, mas esse registro deve estar lá!

3- Termo de consentimento informado

Os termos de consentimento informado são fundamentais. Principalmente, em condutas que envolvam procedimentos como cirurgias, procedimentos dermatológicos, ginecológicos e endoscópicos.

Nestes consentimentos, deve estar claro os riscos que o paciente corre ao estar sendo submetido aos procedimentos. Além disso, ele deve estar ciente e concordante das medidas que serão feitas.

4- Tenha sempre uma testemunha 

Sempre que você estiver exposto a alguma situação de vulnerabilidade, um caso difícil ou que envolva algum conflito, procure sempre ter uma testemunha junto a você.

Essa testemunha pode ser algum colega de trabalho, enfermeiros ou assistentes.

Independente de quem seja, caso aconteça alguma coisa você terá mais alguém que esteve presente naquela situação. Sendo assim, ela poderá testemunhar caso seja necessário.

5- Faça registros fotográficos 

Esta dica vale principalmente para médicos que atuam em cirurgias estéticas. Por exemplo, cirurgiões plásticos e dermatologistas. 

Ao fotografar o antes e depois do procedimento, você estará validando o seu trabalho. Logo, terá como mostrar seu trabalho caso seja necessário.

6- Manter uma boa relação com o paciente 

Pessoal, vocês acham que uma pessoa que é bem atendida vai querer processar um médico por qualquer motivo? Provavelmente, não!

Explique a sua conduta ou procedimento, seja empático e preste um bom atendimento ao paciente.

Essas são atitudes fundamentais para que você tenha uma boa relação médico-paciente. 

7- Respeite seu paciente 

A sétima e última dica (mas não menos importante) é algo que parece básico mas que muitas vezes no dia a dia pode passar despercebido: tenha sempre o máximo respeito pelo seu paciente!

Se o paciente estiver em situações de alta vulnerabilidade, ofereça apoio e indique a presença de alguém conhecido para estar junto com ele naquele momento.

E ai, gostaram das dicas? Espero ter ajudado.

Até a próxima.

Marília Damo.

Isso fez sentido pra você? Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Digite o email em que você quer receber o Checklist: