Residência médica no exterior: qual o melhor país?

Residência médica no exterior: qual o melhor país?

Você já pensou em fazer residência médica no exterior mas está em dúvida sobre qual país escolher para se mudar?

Hoje a gente vai trazer pra vocês um pouco das particularidades que alguns países exigem para você poder fazer sua residência médica lá.

No final, vamos responder juntos: qual o melhor país para se fazer residência médica no exterior.

Bora lá?

1) Residência médica nos Estados Unidos

Primeiro de tudo, você precisa verificar se a sua faculdade faz parte do World Directory of Medical Schools. Caso ela não seja, não quer dizer que seja impossível você conseguir fazer sua residência médica nos EUA. Embora isto seja um pequeno empecilho.

Se este for o seu caso, você pode entrar em contato com o MEC. Com eles, você pode ver as possibilidades de inclusão para a sua faculdade.

Posso começar a preparação em qual período da faculdade?

Você pode começar a se preparar em qualquer período da faculdade. Mas, uma boa opção é começar a partir do 7º semestre. 

Um ponto importante é que você pode fazer a prova com qualquer idade. No entanto, se você passar na prova em um período de tempo mais próximo de formado, é melhor. 

Quanto tempo de validade tem o processo?

Todas as etapas tem validade de 7 anos.

Step 1:

O step one é uma prova com duração de aproximadamente 8 horas. Ela abrange todo o ciclo básico de medicina. Isso inclui matérias como farmacologia, microbiologia, patologia, bioquímica, fisiologia e etc. 

O custo para fazer a prova gira em média de 965 dólares. Mas, o lado bom é que ela pode ser feita aqui mesmo no Brasil, já que algumas cidades fazem a aplicação das provas.

Step 2: 

Caso você seja aprovado no step 1, agora o próximo passo é o step 2. Essa etapa abrange áreas do ciclo clínico como pediatria, cirurgia, medicina interna e etc. Além disso, essa etapa também pode ser feita no Brasil e custa em média 900-960 dólares.

Antes da pandemia, essa etapa incluía uma prova prática com os conteúdos de clínica médica. Assim, você tinha que ir até os Estados Unidos para poder realizá-la.

Agora, essa parte prática foi substituída pelo Occupational English Test. Ou seja, uma prova que avalia o conhecimento em língua inglesa para profissionais da saúde.

E agora, qual o próximo passo?

Depois dos passos acima, você poderá fazer um ranking dos hospitais que deseja fazer a sua residência médica. Da mesma forma, os hospitais também irão fazer um rankiar os candidatos. A partir disso, eles irão chamar os selecionados para a entrevista.

Por fim, depois de todo este processo, você ainda terá que fazer estágios no país. Isso porque, esses estágios lhe darão cartas de recomendação que você precisará para a residência.

Quantas vagas de residência há nos Estados Unidos?

O número de vagas gira em torno de 35 mil vagas por ano.

Qual a média salarial de um médico nos Estados Unidos?

A média salarial varia muito desde 300 mil dólares ao ano até 700 mil dólares ao ano.

2) Residência médica no Canadá

Para você conseguir fazer a sua residência médica no Canadá, você necessariamente precisa ser um residente permanente do país. 

Mas como conseguir ser um residente canadense?

Algumas opções para médicos são: Research Fellow ou Clinical Fellow.

Em ambos os casos, você pode ficar em torno de 1 ano no Canadá. A partir disso, você poderá conseguir um visto de permanent resident. Assim, você poderá prestar prova para a residência médica de lá.

Qual o salário de um médico no Canadá?

O salário varia de 320 a 600-700 mil dólares ao ano, dependendo da especialidade.

Quantas vagas têm para as provas de residência?

Em torno de 3.000 vagas em todo o país. Infelizmente, o número de vagas é bem reduzido.

Como é a concorrência?

No Canadá, a maioria dos imigrantes presta prova para Medicina de Família. Isso porque a concorrência é menor. 

Já áreas como Oftalmologia tem uma grande concorrência. Ou seja, a concorrência irá depender da área que você deseja prestar prova.

3- Residência médica na Espanha

Na Espanha, você não precisa fazer nenhuma prova de revalidação de diploma. Isso porque, se você possui um passaporte europeu, você já pode dar início aos papéis para conseguir revalidar seu diploma. Além disso, o processo dura em média 1 ano.

Como é o salário de um médico na Espanha?

O salário irá variar conforme a sua especialização. Além disso, irá variar também dependendo da cidade onde você está trabalhando. Porém, o salário médio de um médico generalista gira em torno de 2.700 – 3.000 euros por mês.

Como é o processo seletivo para a residência?

Como você viu antes, você não precisa de nenhuma prova para validar seu diploma. No entanto, você irá precisar prestar uma prova para ingressar na residência médica de lá. 

Essa prova é parecida com o sistema que funciona no Enem aqui no Brasil. Sendo assim, você faz a prova e as pessoas que tirarem a maior nota poderão escolher as especialidades médicas mais concorridas.

Já para imigrantes, o número de vagas é menor. Sendo que a porcentagem de vagas gira em torno de 5%.

4- Residência médica em Portugal

Para ingressar em uma residência médica em Portugal o processo consiste em uma prova teórica e uma prova prática. Além disso, você também pode defender a sua monografia.

A residência é composta por um ano, em que você roda por várias especialidades. Caso você já tenha pelo menos 3 anos de experiência, você não precisará passar por este processo no primeiro ano.

Qual a média salarial do médico generalista em Portugal?

1.200 a 1.700 euros/ mês.

5- Residência Médica na Alemanha 

O processo seletivo consiste em uma prova teórica em formato de anamnese em alemão e uma prova oral. Nessa etapa, a principal avaliação será o seu poder de se comunicar em alemão. No entanto, eles avaliam este item muito mais do que o seu conhecimento médico.

Na Alemanha também existe outra forma de validação, a comparação de diploma. Porém, este é um processo com um custo mais elevado por toda a questão de documentação que envolve este processo. 

Além disso, nesta forma de validação, não é preciso prestar prova de residência médica. Ou seja, você pode apenas apresentar a documentação e uma prova de proficiência.

Para quem é cidadão alemão, não é necessário fazer nenhuma prova. Ou seja, os hospitais avaliam seu currículo e a entrevista apenas.

6- Residência médica na Inglaterra 

O processo seletivo consiste em uma prova oral, uma prática e uma prova de proficiência em inglês.

Uma diferença da Inglaterra, é que antes de você ingressar na residência você deve passar pelo Foundation Year. Ou seja, um ano de preparação em que você é um junior. Após isso, você pode escolher sua especialidade.

Dependendo da especialidade, pode ser que você precise fazer apenas entrevista e análise de currículo. 

Média salarial 

O salário não é tão alto em comparação a outros países e até mesmo com o Brasil. Por exemplo, podemos comparar com Portugal, onde temos um dos salários mais baixos dos países citados aqui.

7- Residência médica na França 

Na França, não é possível fazer prova de residência médica caso você seja formado no Brasil. Isso porque, eles exigem que você seja formado em alguma faculdade da União Europeia.

No entanto, você pode fazer sua faculdade e residência no Brasil e revalidar sua especialidade lá posteriormente. 

A média salarial varia conforme o ano. Ou seja, a cada ano que passa de residência ou de atuação médica, seu salário vai subindo de acordo com a sua experiência e tempo de trabalho. 

8- Por fim, qual o melhor país?

Então, galera, para você fazer a sua escolha do melhor país para fazer residência médica no exterior você deve levar em conta algumas situações.

Como vocês viram, tudo depende do que você está disposto a passar para conseguir atuar naquele país. 

Nos Estados Unidos, por exemplo, o processo seletivo exigirá uma preparação maior. Oorém o salário também é bastante alto. 

Já nos países europeus, com exceção da Alemanha que possui uma boa média salarial, os outros pagam relativamente menos do que no Brasil, Estados Unidos e Canadá. No entanto, a qualidade de vida é muito boa e você conseguirá se manter tranquilamente lá mesmo com os salários relativamente mais baixos. 

Entenderam?

Por isso, estude bem as particularidades de cada país e coloque na balança o que você prioriza ao escolher prestar prova para residência médica no exterior e atuar lá depois. Beleza?

Até a próxima!

Marília Damo

Isso fez sentido pra você? Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Digite o email em que você quer receber o Checklist: